30 de abril de 2007

Tornando-se pedra

Tenho observado(ao som de James Morrison se possível) mudanças. Boas mudanças. Algumas fundamentais para a minha sobrevivência humana.Tenho evitado emoções, despedidas, lágrimas exteriorizadas(o que não quer dizer que eu não chore por dentro),recordações tocantes... Medidas de cautela. Me conheço, e como dizia Bob Marley, como não sei nadar não me arrisco em águas profundas...Well, acho que tenho me saído muito bem nesse processo complicado de ser resistente.
Mas temo essa minha atitude. De verdade. Já que todas essas emoções postergadas estão sendo acumuladas em meus registros interiores e um dia certamene aflorarão. De forma tão intensificada e saudosa que poderão causar danos semelhantes ao de uma onda gigante que avança no continente. Avassalador. Daí então lembrarei com sentimentos materializados daquele olhar doce e acolhedor; daquele momento divino e sublime que fingi não perceber para não me afogar em emoção; daquela pessoa especial que não sei se verei mais, mas que nem pude me despedir...; daquelas pessoas de tão longe que tanto amo, mas nem sei seus nomes; daquele momento onde tudo era aquele momento, e tudo era mágico e feliz; Também sentirei saudades de coisas que ainda não aconteceram ou nunca o farão mas sei lá, me fazem uma certa falta; daquele filme que vi milhares de vezes mas que nunca mais vi;
Mas só lembrarei disso amanhã. Ou depois. No exato dia em que não couber mais recordações ou devaneios. Só nesse dia. Por enquanto não chorarei lágrimas de saudade.

Nenhum comentário: