7 de fevereiro de 2008

A Biografia do Baú

Num certo dia, meados de 1912, Lutzka percebeu-se vazia, sem história para contar. Parecia não ter passado. Pensou ter surgido através do encontro de uma nuvem violeta e um raio de Sol. Sua memória falhava, deletava casos e acasos. Tinha medo de esquecer seu próprio nome.
Foi quando então ela resolveu guardar tudo num baú de cartas. Um baú velho e esquecido no sotão. Desde então entraria para história como vulto. Mesmo seus mais sutis momentos seriam firmados à posteridade. Assim passou a sentir que sua vida teria mais sentido. Alguma semente sua ficaria para o além.
Sua vida se materializaria em páginas, em cartas. Dentro do baú da existência. Sem ordem cronológica. Memórias aleatórias.
#Pintura de Konstantin Egorovich Makovsky






2 comentários:

Louka Simetria disse...

história interessante, curioso como as pessoas temem passarem despercebidas diante do mundo!

Adriana disse...

Muito interessante mesmo. Quando comecei a escrever meu blog, queria q minhas palavras ficassem registradas pela eternidade afora.

Adorei esse teu espaço aqui. Virei mais vezes.
Bjs