8 de fevereiro de 2008

Os pés do José


Os pés do José têm vida própria. Calçam o que querem e caminham para onde querem. Sem discussões.

Os pés do José adoram meias azul-celeste. Não aceitam nada em tom marrom. Até gostam de meia furada.

Os pés do José são ásperos e grosseiros. Possuem uma dura história de vida. Já bateram firme ao chão com muita dignidade.

Os pés do José adoram correr em contato com a grama. Saúdam um belo banho de rio. Deliram sobre areia de duna.

Os pés do José dormem de pé quando o José deita com sono. Isso deveria ser um "o que é, o que é". Mas não é.

Os pés do José gostam de vento entre seus dedos. Gostam de lua. Caçam estrelas.

Os pés do José trazem feridas, cicatrizes, fome. Trazem seca.

Os pés do José temem bicho de porco, caco de vidro, prego, chiclete.

Os pés do José adoram bolero. Adoram os pés da Berenice.

Os pés do José marcam uma quilometragem invejável à qualquer viajante.

Os pés do José são firmes e voam entre as nuvens. Mas são presos ao chão.

Os pés do José são parte do mundo. São lenda. São mito. São cordel.

Dos pés do José jorram cachoeiras de mel.

Nenhum comentário: