14 de fevereiro de 2008

"¿Y hasta cuándo cree usted que podemos seguir en este ir y venir...?"

*Só porque hoje é hoje para alguns lugares.

(Gabriel García Marquez )



Não sei se um dia serei tudo para alguém. Espero que não.
Tudo é muito. Pesa.
Como também não suportaria o vazio de não ser nada para alguém.
Nada é muito. Pesa.
Para mim, o amor é leveza.
É simplesmente não sentir sentindo. Não doer doendo.
É pluma.

Mônica Meira




Um comentário:

Álvaro Andrade disse...

"É um contentamento descontente..."

valeu pelo nome do pintor! hehe
vou dar os devidos créditos no post.

Bjo.