1 de junho de 2008

A cura pela insignificância

Não podemos, nem devemos, nos deixar abalar pelas críticas negativas de quem não nos conhece. Não podemos, nem devemos, nos envaidecer pelos elogios extremistas de quem não nos conhece. A base da nossa satisfação ou da nossa insatisfação deve estar bem firme. Somos mais do que um aspecto ou um ponto de vista. Cada um cabe dentro do espaço que se dá.

Andei recebendo críticas anônimas aqui no Blog de alguém gratuitamente agressivo e infeliz. Não se tratavam de críticas construtivas, era apenas lixo. Este que fiz questão de mandar reciclar.
Aprendi que apenas pessoas muito mal- amadas sentem prazer na agressão gratuita.

Quando eu era mais nova recebi uma carta anônima na escola que simplesmente falava coisas absurdamente vulgares e cruéis para mim. No momento que li fiquei sem ação, eu não tinha inimigos. Pensava eu. Pois é, como eu era uma menina pacata, alegre e na época a primeira da sala, uma colega de sala que se dizia minha amiga, foi tomada por uma inveja súbida e resolveu me mandar tal coisa.

Desde pequena que eu conheço o poder da agressividade e da insanidade humana. Fui muito ingênua e aceitei de certa maneira que tais coisas chegassem até a mim. Mas hoje não. Fui vacinada e não me abalo com incompetentes.

Tenho bons visitantes por aqui. Pessoas que sabem argumentar e expor suas opiniões. Seres vivos. Não seres brutos como os que anonimamente falam asneiras e enchem a boca para proferir coisas sem sentido como se estas fossem as verdades absolutas do Cosmo. Não preciso de pessoas que julgam que se preocupar com os outros é querer simplesmente estar com a consciência tranquila. Não preciso de pessoas que se julgam deuses da língua portuguesa para criticar textos alheios mas que no entanto, não conseguem redigir suas próprias palavras. Estes são os típicos vomitadores de discurso barato aprendido em antros de gente vazia.

Alguns que não se dizem hipócritas e comentam num Blog o seguinte " Queria te dar um murro" merecem no mínimo pena. Só faltou a risada sarcástica do Clodovil para responder tal infantilidade. Quem apela para agressão prova a sua incapacidade de argumentação. Quer ganhar no grito, no dente...Estes são os piores fracassados. Vivem em tanto fracasso que se dão ao trabalho de ler e comentar num Blog que dizem ter odiado. No mínimo devem ter muito tempo de ócio depreciativo.

Meu Baú não tem espaço para gente pequena de alma que não sabe viver. Aqui nunca agredi ninguém, aqui nunca dei nenhum motivo para que pessoas com desequilíbrio emocional me agredissem. Esse espaço é MEU. Tenho adoráveis visitantes que sempre me dão a honra de suas presenças e comentários. Os respeito e eles merecem um Blog que antes de mais nada se respeita.

A partir de hoje quem enviar qualquer comentário anônimo ao meu blog (sem assinatura) terá seus dizeres automaticamente deletados. Nem me darei ao trabalho de ler.

"O termômetro do sucesso é apenas a inveja dos descontentes."
Salvador Dalí

Só o surrealismo deveria explicar. Afinal, o mundo é dos grandes de alma.
Ao minúsculo anônimo, o eterno vazio de ser ele mesmo.



~~Abraço aos bons e grandes leitores. :]

3 comentários:

O Profeta disse...

Teus olhos são sóis adormecidos
Perdidos no profundo da noite
Luzeiros na procura da aurora
Que viajam sem rumo ou norte

Procuram a ironia do tempo
Os gritos que um rosto apregoa
Uma taça de ouro frio
O tempo que uma alma magoa


Boa semana


Doce beijo

Leve, breve, suave. disse...

uaaaau

palmas palmas
adoooorei!!

beeeijo

arritmia disse...

gente com classe é outra história, né.
por isso que gosto de você =)