29 de junho de 2008

Tantos Olhos

Viver pede encantamento.
Pede olhos de oceano. Que brilhem sob os raios de Sol. Que tempesteiem. Que tenham em suas profundidades infinitos sentimentos colhidos como flores pela vida.
Viver pede olhos...


***Olhos de um amável pai que já se foi;
Olhos de um cego que tateia flores;
Olhos de um reencontro sincero após tantos anos de saudade;
Olhos de mãe que fita pela primeira vez os olhinhos de seu bebê;
Olhinhos curiosos e puros* de bebê;
Olhos de amizade eterna;
Olhos emaranhados de um casal que nunca veio a existir;
Olhos de quem olha a vida pela última vez;
Olhos de quem olha além do vento;
Olhos de cachorro*, olhos de coruja;
Olhos de um pai que entrega sua filha ao noivo no altar;
Olhos de quem olha as nuvens de cima, da janela de um avião;
Olhos de quem olhas as nuvens de baixo, deitado na grama;
Olhos de quem olha a última flor* cair da cerejeira;
Olhos de quem olha a última folha seca esvair-se;
Olhos de quem olha as primeiras folhas verdes ressurgirem;
Olhos de quem observa pessoas sorrindo;
Olhos de quem sorri*;
Olhos de quem observa outros olhos;
Olhos de quem habita outros olhos;
Olhos de quem olha* para dentro de si e encontra o universo;
Olhos de sempre e de nunca.


Tantos olhos...
Tantos olhos que vêem tantos mundos*.
Tantos sonhos em tantos mundos. Tantos olhos.

Um comentário:

A Menina Sem Século disse...

que lindo!
fui parar no sue blog nao sie nem como...
mas adorei.
vou te visitar mais.
bjs

vc tb é uma doida por clarice q nem eu rsrsrs
alias doido é quem nao é ne?