13 de março de 2009

Nada


O que seria o Almodóvar sem a Penélope Cruz ? O Tarantino sem a violência ? O bolo de festa sem a cobertura ? Ou Paris, sem a Torre Eiffel ?


O que seria o boteco sem o chope gelado ? A praça sem o banco ? As rosas sem as hastes ? Shakespeare sem tragédias ? Os Beatles sem o Lenon ?


O que seria o carnaval sem as cores ? O que seria a literatura sem as lágrimas ? O que seria a ferida aberta sem a vermelhidão ? O fim da opressão sem o Tropicalismo ?


O que seriam as mulheres sem o espelho ? O que seriam as artes sem a subjetividade ? O papa sem os católicos ? O que seria o domingo sem o nada pra fazer ?


O que seria a caneta sem a tinta ? A música sem o som ? Os peixes sem os brônquios ? O beijo sem o contato ? A fé sem a verdade ? Eu sem eu mesma ?


O que seria ?


...

Nenhum comentário: