30 de junho de 2009

Corpo fechado


Estou cansada. Fatigada, enfastiada, afadigada.
Estou amuada, melindrada e de bode amarrado.
Percebi que não está tudo bem. Percebi que não estou bem. Hoje me olhei no espelho com olhos mais atentos e vi novas coisas que me incomodam. Coisas que acho que nunca vão mudar.
Percebi que ando na crista de uma onda extrema de ansiedade, angústia e incerteza.
Estou perdida em minha transição.
Estou viciada, desleixada, amarela. Preciso pegar um sol. Preciso ser mais saudável. Preciso arrumar meu guarda-roupas. Preciso de tanta coisa que só eu posso me permitir. O problema é exatamente esse. Como posso ter coragem de ir na piscina, de tirar uma tarde para arrumar a bagunça, de ir para um passeio ao ar livre, de tomar um chope, estando com uma pessoa cansada, fatigada, melindrada e incomodada ao meu lado ? Ou melhor, dentro de mim ? Minha constante permanência comigo mesma está me provocando crises. Acho que vou me separar de mim. Pelo menos me dar férias.

Um comentário:

Carlos Lapa Filho disse...

As pessoas sempre têm seus momentos de angústia, tristeza e raiva...
Supera-los sempre é dificil, mas com o primeiro passo tudo pode se resolver...

Beijos mônica...