27 de julho de 2009

Quem te dirá?


Que cor você quer ser quando crescer ? Em que sonhos você vai se apoiar quando tudo estiver real demais ? E em matéria de amor, o que pretende ensinar ? E aprender? E quando estiver em silêncio, que canção você assobiará ? Que música quer escutar quando terminar de jantar depois de um dia de cão? Que medos você vai me revelar quando a noite cair ? Que revelação? Que festa você vai dar quando tudo explodir? E quando a explosão for de satisfação ? Que livro você quer ter como ocupação ? Que sorriso você vai dar quando seu filho sorrir pela primeira vez? Quando seu amor ao seu lado dormir de vez? E acordar para sempre? Quantas palavras você quer escutar quando tudo mudar? Que textura para a sala de estar? Que cama? Que console? Que consolo ? Que medo de escuro? Que fotografia tirar ? Que dia para o balé sua filha irá? E se ela não for ? Se preferir karatê? Que domingo na piscina você vai ficar? Que beijos de boa noite você vai dedicar? E cartas ? Que peixe você vai criar? Que dia a conta de telefone vai chegar? Quantos questionamentos você ignorará? Que cor você quer ser quando crescer?



*Foto da minha amiga belíssima e queridíssima, Maia. Para ela não poupo superlativos.

26 de julho de 2009

Bendito fruto (I)



Lealdade
Composição: Wilson Baptista/Jorge de Castro
http://www.youtube.com/watch?v=E9ioe6clKy8&feature=fvw = Escute com Eddie* !

Serei
Serei leal contigo

Quando eu cansar dos teus beijos te digo

E tu também liberdade terás

Pra quando quiseres

Bater a porta

Sem olhar p'a trás

Quando os teus ohos

Cansarem dos meus olhos
E o teu sorriso

Cansar da minha voz

Quando o teu corpo

Tiver cansado dos meus braços

Não é preciso haver

Falsidade entre nós


* Banda Eddie http://www.myspace.com/bandaeddie
Banda brasileira, nordestina, pernambucana. Encantadora.

(A versão que mais gostei foi deles)

Mas também escute com Caetano Veloso http://www.youtube.com/watch?v=skmrN0uUwqY

Essa é uma das músicas mais lindas que já ouvi na vida. Fica a dica.

23 de julho de 2009

Verbo Blasonar


Apesar de ter desconstruído a idéia de "ídolo" em minha mente de uns tempos para cá, não posso negar que existam pessoas para as quais sintonizo muita admiração, inspiração e afeto. (Fã, segundo o Aurélio, é um admirador exaltado de certo alguém) Sou uma admiradora exaltada de Michel Melamed. Me exalto emocionalmente quando o vejo, quando o leio e quando o escuto. Eu o blasono.
Todos devem conhecê-lo pela sua atuação enternecedora e ao mesmo tempo perturbadora, como Bentinho (personagem do livro Dom Casmurro do mestre Machado de Assis) na minissérie Capitu, exibida pela Rede Globo há poucos meses. Ele mesmo.
Um ser vivo, humano, genial. Eu diria um dos melhores do cenário contemporâneo. Eu digo o melhor. Um g-ê-n-i-o. Com todas as cinco letras.

Melamed me transforma. Principalmente quando leio ou vejo sua interpretação em "Regurgitofagia" peça de sua autoria (que também tornou-se livro). Esta peça possui um texto intenso, uma interpretação que dá choques literalmente (Michel é ligado no palco à fios que são conectados à sensores que ao captarem sons da platéia descarregam uma certa corrente elétrica em seu corpo).
Além de também, Homemúsica, Dinheiro Grátis, e o programa Recorte Cultural. Todos cheios de uma de uma sensibilidade digna de exaltação. Ele é o cara que escuta "atroz, atriz" e diz "atrás, à três".
Michel é um poeta. Dono de uma versatilidade e originalidade sem igual. Antropofágico, corajoso, conhecedor das letras e dos versos que desmonta, monta e cria, constituindo um novo olhar.

Eu poderia passar horas escrevendo o que penso à respeito dele, mas deixo que o procurem e quem sabe, o encontrem de verdade. Espero que se encontrem de verdade.

Michel, um dos meus maiores pesares é ainda não ter tido a oportunidade de sentarmos em algum bar rústico perto da praia (na madrugada) e ficarmos jogando palavras ao vento e colhendo os versos que a maresia nos embalar.


*Foto extraída do site : http://oglobo.globo.com/fotos/2008/11/01/01_MVG_melamedmat.jpg

22 de julho de 2009

Um retrato


"Ela ou vive num passado distante, ou num futuro provável. O presente que é bom...nada"

19 de julho de 2009

Ponto parto


Você me acha medíocre eu te acho medíocre trocamos versinhos estúpidos e salivas incertas meias palavras mortas e "gosteis" e "adoreis" e não dizeres você me ignora e eu te ignoro antes não leio lendo o que você escreve enquanto você não lê não sei se lendo o que eu escrevo não sei a razão de tanto embrulho no estômago e ânsia de vômito ao perceber seu simples estar na terra talvez seja um filho de nossa saliva que te reconhece com nojo e avisa que está para nascer como um ser não sendo confuso sem pai nem mãe sem poeta ou louco e nascido de um regurgitar qualquer.