5 de outubro de 2009

Ao meu menino


Sempre falei do amor. Sempre foi um tema que me inspirou e me envolveu de maneira fabulosa. Porém, peço perdão às palavras que dediquei a este sentimento. Pois pela primeira vez sinto o que é verdadeiramente "amar e ser amada" e é uma sensação que foge do meu controle, das minhas idéias e dos verbos de ação...
Nada é suficiente para explicar. Nenhum adjetivo é capaz de medir. Nenhuma frase é forte o suficiente para conter com um ponto final. Amar pede reticências...
É tentar dizer o indizível. Explicar o inexplicável. Amo simplesmente.
Amo com toda minha fé e sinceridade. Com toda minha alma, mente e corpo. Amo como nunca imaginei amar. Confio como nunca imaginei confiar. Amo sem medo, sem pressa, sem ciúme. Amo de olhos fechados dançando no escuro.
Viver um sonho me emociona e me assusta, já que sempre dá aquele frio na barriga ao acordar quando me pergunto, " será tudo realidade ou sonhei ?". Mas quando concluo que tudo é real, sinto correr dentro de mim uma intensidade luminosa de alegria capaz de explodir no céu como fogos de artifício e contagiar a espécie humana com alguma substância insolúvel e inexplicável que produz conforto e serenidade.
Amar da maneira mais pura, mais sincera e mais entregue que posso, me faz sentir coragem, proteção e paz interior. E tudo isso é natural, é incontrolável e dispensa a razão.
Amo e tenho o amor como guia.

Te amo, meu menino. Obrigada por me fazer realmente entender o que é amar e ser amada.

2 comentários:

Jonga disse...

Meu amor, saiba que todos esses sentimentos também me dominam e hoje sei que preciso deles para me sentir realmente vivo. Muito obrigado por existir. Eu te amo.

Leve, breve, suave. disse...

q lindo. me fez até suspirar
=)